.posts recentes

. Vale do Bonfim tinto 2016

. Vallado rosé 2017

. Hexagon 2005

. Ultreia St. Jacques

. Valle Pradinhos rosé

. Ribeiro Santo Touriga Nac...

. Beyra tinto 2015

. Palmer's & Co Vintage 200...

. Quinta do Carmo 2014

. Dona Maria 1974

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Setembro 2018

. Maio 2018

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

Terça-feira, 29 de Outubro de 2013

Castelo de Arraiolos - Tinto 2012


Vinho Castelo de Arraiolos
Tipo / Ano Tinto 2012
Castas Trincadeira, Aragonez, Alicante Bouschet
Região Regional Alentejano
Produtor Soc. Agric Herdade Mouras Arraiolos

Aspecto Rubi
Nariz Sugestões frutadas e florais
Boca Entra suave. Mostra textura bem suave, quase cremosa, boa frescura, algum corpo. Concentração agradável, final médio, suave, agradável.

Opinião Bom
Data Prova Outubro 2013
Preço €1,49, Pingo Doce

 

Numa tarde de compras, o olhar pousa no cartaz chamariz do Pingo Doce. Entre outras coisas, mostra um vinho a €1,49 e penso: que estará dentro de uma garrafa vendida a este preço? Se contar com o custo da garrafa, rótulos, rolha, registos, custos produção, etc... onde estará a margem? Curiosamente, apresenta um preço inferior aos vinhos de marca própria do hiper. Não está ao meu alcance perceber isso, portanto, lá segui com a lista de compras para a semana e a curiosidade desperta. Claro que encontrei a garrafa logo à entrada e quando vi a dupla produtor/enólogo (Jaime Quendera) não hesitei e lá saltou para o carro. Teria pizzas ao jantar, portanto, a prova ficou agendada. De um vinho entrada de gama espero uma prova fácil; na minha opinião deve ser consensual, com presença de boca agradável e suave no final (aquela coisinha a queimar a garganta é algo que os consumidores dispensam). E pronto, teve tudo isso: foi agradável, consensual, preparado para um consumo descontraído. Cumpre o objetivo e pelo preço de um café conseguimos acompanhar o jantar com vinho (uma pessoa, uma garrafa para 3 dias).

Como vou recordar este vinho: Vinho agradável, conseguido, adequado para acompanhar as refeições simples e apressadas do dia-a-dia por um preço ultra competitivo.

publicado por Ricardo Cruz às 17:12
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De Polittikus a 29 de Outubro de 2013 às 22:23
De facto é incrível como é possível vender um vinho tão honesto por esse preço...
De Ricardo Cruz a 30 de Outubro de 2013 às 08:48
A planície do Alentejo favorece a mecanização na vindima e a tecnologia na adega também reduz a intervenção humana, mas, mesmo assim, parece demasiado baixo.
Admito, no entanto, que a necessidade de escoar stock's nesta conjuntura económica possa incentivar a algumas decisões que envolvam margens nulas ou negativas. Mas só o produtor sabe...
De Ssssstress a 30 de Outubro de 2013 às 14:57
O único "problema" que se põe é: o vinho é bom ou não?
O preço é uma questão de pormenor já que é produzido para proporcionar prazer ao bebê-lo, independentemente de custar 1,49€ ou 14,90€

Sou pelo vinho! Gosto de o beber!
Lamento que a minha idade já não me permita fazê-lo com mais assiduidade!

Cumprimentos.
De Ricardo Cruz a 30 de Outubro de 2013 às 18:51
Uma grande verdade: o vinho é feito para dar prazer. Infelizmente, os recursos são escassos, logo, por grau de satisfação semelhante é normal optar-se pelo mais barato.
Pessoalmente, sou consumidor exigente e espero que mais Euros tragam mais qualidade.
Votos de boas provas e um brinde ao vinho nacional.

Comentar post

.mais sobre mim

.links

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds