.posts recentes

. Vinha Maria 2017

. Pedra do Gato branco 2018

. Bye Bye Summer Wine Party...

. Fagote Grande Reserva 201...

. Pacheca Superior 2015

. Ladeira da Santa Grande R...

. Casa da Senra Loureiro 20...

. Mirabilis Grande Reserva ...

. Palmer & Co Brut Réserve

. Villa Martino

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Novembro 2018

. Setembro 2018

. Maio 2018

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

Sexta-feira, 6 de Julho de 2012

Quinta da Mata Maceda - Tinto 2001

Vinho Quinta da Mata Maceda
Tipo / Ano Tinto 2001
Castas Tinto Cão, Tinta Barroca, Tinta Roriz, Touriga Nacional
Região Douro
Produtor Jorge Bernardo Lacerda Queiroz


Aspecto Rubi concentrado, quase opaco
Nariz Madeira velha, frutos vermelhos, especiarias
Boca Bom corpo, taninos maduros, acidez média. Corpo bem constituído, que dá volume na boca, e suave. Final longo, com boa persistência, em que a fruta tem mais protagonismo do que no nariz. Aparece, no entanto, um amargor que parece acidez volátil a prejudicar um pouco a prova.


Nota 15,5
Data Prova Junho 2012
Preço Inf a €10,00, Garrafeira Vinhos e Prazeres

 

Abrir uma garrafa de 2001 já nos deixa expectantes com o que vamos encontrar. Os primeiros sintomas prometiam, com o aroma dentro da expectativa e uma cor em grande forma, rubi bem carregado, nada alaranjado. Após uma primeira avaliação decidi decantá-lo, pois parecia ter solidez na estrutura e o aroma pedia oxigénio. Foi abrindo e mostrou-se muito bem, excepto a acidez final que deu mais luta para suavizar, mas esteve bem aceitável. Já entramos num registo de degustação de vinhos com evolução, portanto, não se espere que seja consensual. É muito recomendável para quem tem curiosidade com o efeito do tempo no vinho, dada a resistência que mostrou e os indícios de que ainda tem anos pela frente. Esta garrafa foi bebida com prazer, a acompanhar um bacalhau no forno, e a surpresa proporcionada pela boa forma do néctar foi motivo de satisfação adicional.

publicado por Ricardo Cruz às 12:39
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds