.posts recentes

. Vinha Maria 2017

. Pedra do Gato branco 2018

. Bye Bye Summer Wine Party...

. Fagote Grande Reserva 201...

. Pacheca Superior 2015

. Ladeira da Santa Grande R...

. Casa da Senra Loureiro 20...

. Mirabilis Grande Reserva ...

. Palmer & Co Brut Réserve

. Villa Martino

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Novembro 2018

. Setembro 2018

. Maio 2018

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

Sábado, 12 de Março de 2011

Início

Nasce mais um blog na internet… Escreve-se mais um post incial… E o que se escreve num post inicial? Certamente o motivo da criação do blog e o que se pretende fazer, ou seja, a proposição (assim mesmo, à Lusíadas).

Este espaço tem um objectivo muito simples e claro: servir de repositório para momentos que eu queira guardar sob a forma escrita. Mas não tenho interesse num diário ou similar; a motivação para este espaço virtual é uma necessidade (mais do que mera vontade) de materializar sensações e/ou reflexões. Somos seres pensantes e eu cultivo a reflexão há muitos anos (aquela que está ao meu alcance, claro), pelo que a escrita surge como o meio natural para “dar vida” tudo o que se passa na nossa cabeça. Não no sentido catártico pontualmente envolvido em processos de escrita literária, mas simplesmente para mais tarde recordar.

Os temas mais frequentes serão leituras (livros e revistas) e vinhos e é importante realçar que não há qualquer aspiração a fazer crítica, mas apenas registar as ditas sensações/reflexões que aqueles momentos originaram.

A primeira história é a da escolha do nome, momenta. Passei por várias hipóteses e uma quase foi escolhida, barricardo, no entanto, havia coisas parecidas e achei um pouco redutor. Estava a pensar à volta de reflexões, sensações (sensações em barrica foi outra hipótese), mas quando cheguei a momentos achei que era isso. E entre alternativas vedadas e variações diversas ficou momenta que o Google traduz como “os momentos de”. Era preciso mais?

tags:
publicado por Ricardo Cruz às 20:50
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De elisabete macedo a 16 de Março de 2011 às 16:50
Momenta! Perfeito!

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds