.posts recentes

. Monte São Sebastião Reser...

. Garrafeira dos Sócios dem...

. Parallèle 45 a mostrar o ...

. Quinta de Cidrô Touriga N...

. Vinha Maria 2017

. Pedra do Gato branco 2018

. Bye Bye Summer Wine Party...

. Fagote Grande Reserva 201...

. Pacheca Superior 2015

. Ladeira da Santa Grande R...

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Maio 2021

. Maio 2020

. Abril 2020

. Dezembro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Novembro 2018

. Setembro 2018

. Maio 2018

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

Sábado, 10 de Dezembro de 2011

Aguião - Tinto 2010

Vinho Aguião
Tipo / Ano Tinto 2010
Castas Vinhão
Região Vinhos Verdes
Produtor Simão Pedro Vasconcelos Bacelar Aguiã


Aspecto Rubi
Nariz Intenso, frutado e floral
Boca Corpo médio, boa acidez. Muito bem na boca, com alguma cremosidade, num vinho com uma acidez perfeitamente domada. Final médio, vivo e frutado, ligeiro amargo


Nota 15,5
Data Prova Novembro 2011
Preço €5,25, Garrafeira Vinhos e Prazeres

 

 

Após várias referências muito positivas, a hora de provar este verde tinto foi anunciada quando soube a ementa de um daqueles almoços de família ao fim-de-semana: rojões. Conheço pouco a realidade verde tinto e não conheço as versões acídulas que originaram a imagem associada. Este vinho estão tão bom, que é o vinho certo para se dar a provar a quem afirme não gostar de verde tinto (se de uma forma preconceituosa, claro). Agradável, fresco, cremoso, enfim, a não perder. Ainda não provei o congénere Afros, mas estou muito curioso.

tags:
publicado por Ricardo Cruz às 23:09
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds