Este blog é a materialização de duas necessidades humanas: expressar o que nos passa pela cabeça e guardar para consulta futura. Não possuo formação específica sobre as matérias abordadas, logo, este blog é apenas um espaço aberto de opinião.

.posts recentes

. Palmer's & Co Vintage 200...

. Quinta do Carmo 2014

. Dona Maria 1974

. Bafarela Grande Reserva 2...

. Quinta Cidrô Boal 2014

. Ventozelo Reserva 2014

. Castello D'Alba Vinhas Ve...

. Luís Pato Maria Gomes

. Langhe Nebbiolo 2010

. Ribbonwood Pinot Noir 201...

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

Quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

Terras de Monforte e uma harmonização

  Vinho Terras de Monforte Escolha
Tipo / Ano Tinto 2009
Castas  
Região Regional Alentejano
Produtor Herdade do Perdigão
 
Opinião Muito bom
Data Prova Setembro 2014
Preço  

 

Gostei muito deste vinho. De cor rubi, aroma bem marcado pela madeira, boca com corpo generoso, boa frescura, bem estruturado em taninos finos, mas presentes, que conferem secura. Aparecem algumas nuances de fruta madura e especiarias que acompanham até ao bom final. Está em boa forma e promete durar ainda uns bons anos.

 

Harmonização: o almoço seria uma carne guisada, com “acabamento” no forno. Um prato rico, com molho e sabores fortes. A espreitadela à garrafeira originou a opção por este vinho, já que o anunciado estágio de 18 meses em barrica apontava para um vinho potente e estruturado, à altura do prato. Felizmente correspondeu à expetativa e o diálogo com a comida foi harmonioso. Na batalha do palato não houve sobreposições nos sabores, ou seja, nenhum foi apagado pelo outro; nem tão pouco a junção destacou algum aspeto menos agradável. Em pouco tempo tive 2 boas experiências de vinhos potentes e estruturados com carnes acompanhadas por molhos ou ricas e dominantes no palato.

 

 

Como vou recordar este vinho: Um vinho muito bom, madeira a marcar um pouco, com uma harmonização bem conseguida. Fica na memória de 2014.

publicado por Ricardo Cruz às 15:25
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.links

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds