Este blog é a materialização de duas necessidades humanas: expressar o que nos passa pela cabeça e guardar para consulta futura. Não possuo formação específica sobre as matérias abordadas, logo, este blog é apenas um espaço aberto de opinião.

.posts recentes

. Herdade dos Grous 23 Barr...

. Le Bourgogne - Chardonnay...

. Vega Sicília Único 2003

. CARM Rabigato 2015

. Permitido - branco 2015

. Proibido - Tinto 2012

. Campolargo branco 2012 e ...

. Esporão Reserva Branco 20...

. Herdade das Servas Tourig...

. Taylor's 10 anos

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

Quinta-feira, 1 de Dezembro de 2016

Herdade dos Grous 23 Barricas

A Herdade dos Grous situa-se em Albernoa, Beja, no coração do Alentejo. Clima quente, muito quente... O vinho tem origem numa seleção de 23 barricas das melhores uvas de Syrah e Touriga Nacional. Estagiaram em separado durante 12 meses em barricas de carvalho francês e americano.

 

Aspeto: límpido, rubi, intensidade média;

Nariz: limpo, intensidade média, com baunilha, especiarias (pimenta e especiarias doces) e tostados

Boca: Seco, muito corpo, taninos médios, acidez baixa, sabores com o perfil do nariz, final médio.

 

Herdade dos Grous is located at Albernoa, Beja, in Alentejo's heart. Hot, hot climate... The wine comes from 23 barriques of the best Syrah and Touriga Nacional grapes. Aged 12 months, separately, in american and french oak barrels.

 

Look: clean, rubi, medium intensity

Nose: clean, medium intensity, with baunilla, spice (pepper and sweet spices) e toast

Mouth: Dry, full bodied, medium tannins, low acidity, flavours follow the nose, medium finish.

publicado por momenta às 19:39
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 16 de Novembro de 2016

Le Bourgogne - Chardonnay 2014

Le Bourgogne Chardonnay 2014.jpgUma prova de um Chardonnay da Borgonha, do produtor Chanson Père & Fs. O interesse era pedagógico, para familiarizar-me um pouco mais com a casta no seu terroir mais famoso. Trata-se de um entrada de gama, mas cumpriu bem o que esperava dele. Mostrou a casta, mas também foi muito agradável de beber.

 

Aspeto: limpo, amarelo de intensidade média

Nariz: limpo, intensidade ligeira, fruta branca

Boca: seco, acidez alta, corpo médio, final médio com acidez a "picar" a garganta. Mais intenso do que no nariz, fruta branca e algum citrino

 

Tasted this Chardonnay from Burgundy for learning purposes. Wanted to get in touch with the variety at the most famous terroir. And it made it, showed the grape and was pleasant to drink.

 

Look: clean, yellow, medium intensity

Nose: clean, low intensity, white fruit

Mouth: dry, high acidity, medium body, medium finish, with an acid "stink" in the throat. More intense than the nose, with a citric touch added to the white fruit.

 

publicado por momenta às 17:29
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 3 de Novembro de 2016

Vega Sicília Único 2003

V_Vega_Unico_T_03.jpg

Provar um vinho de fama mundial é sempre um momento marcante para um enófilo. É claro que a fama não é sinónimo de qualidade, nem significa que todos gostem, mas temos a oportunidade de conhecer e formar a nossa opinião. Gostei imenso do vinho e considero-o merecedor da fama associada ao nome. Descobri no site do produtor que estamos perante um lote Tempranillo / Cabernet Sauvignon.

Aspeto: limpo, cor granada profunda, quase opaco

Nariz: Limpo, intensidade pronunciada, complexidade fora do comum, com fruta madura, madeira, especiarias, algum floral e muito balsâmico.

Boca: seco, acidez média, tanino médio, corpo médio, sabor em perfeita harmonia com os aromas. Final médio mas muito persistente.

 

Look: clean, deep rubi colour, opaque

Aroma: Clean, intense, complex, with ripe red fruit, wood, spice, flowers and balsamic

Mouth: Dry, medium acidity, madium tannins, medium body, flavours simillar to the aromas. Medium finish but very persistent.

publicado por momenta às 13:40
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 27 de Outubro de 2016

CARM Rabigato 2015

V_CARM_Rabigato_15.jpg

Varietal de Rabigato, uma das principais castas brancas do Douro, origem em vinhas velhas, sem passagem por barrica, colheita 2015. A CARM localiza-se em Almendra, no Douro Superior.

 

Aspeto: límpido, amarelo limão média intensidade

Nariz: limpo, intensidade média a citrinos e ligeira mineralidade

Boca: seco, acidez alta, corpo médio, mesmo perfil do nariz. Final médio, com ligeiro amargo

Gostei muito do vinho, proporciona bastante prazer ao beber.

 

 

Varietal white wine made of Rabigato, one of the most important grape varities of Douro, from old vines and without oak ageing. CARM winery is located at Almendra, Douro Superior.

 

Look: clean, medium intensity yellow

Nose: clean, medium intensity of citric fruit and some minerality

Mouth: dry, high acidity, medium body, flavours simillar to the nose. Medium finish with a little bitterness

Enjoyed it very much, gives a lot of pleasure to drink.

 

publicado por momenta às 17:08
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 18 de Outubro de 2016

Permitido - branco 2015

Permitido_2015.jpg

A partir de vinhas localizadas no Douro Superior, o produtor Márcio Lopes elabora este varietal de Rabigato. É um vinho que nas diversas edições conjuga um conjunto de características que me agradam particularmente.

2015 é reconhecido como um bom ano para vinhos brancos em diversas zonas de Portugal. Este Permitido mostra um perfil aromático muito cítrico, na boca sentimos uma frescura excelente, corpo médio com alguma textura, num equilíbrio excelente. A estas características junta-se a mais importante: é um vinho difícil de parar de beber, é um vinho de puro prazer hedonista.

Podemos dizer muitas coisas sobre um vinho, mas a mais importante é gosto ou não gosto. Eu gosto muito do Permitido nas diversas colheitas e gostei muito deste 2015 provado em garrafa magnum.

publicado por momenta às 17:47
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 11 de Outubro de 2016

Proibido - Tinto 2012

V_Proibido_T_2012.jpg

Voltei recentemente a provar o Proibido, um vinho que tenho a felicidade de acompanhar desde o início. É um vinho de que gosto muito, um vinho completo: com complexidade no aroma; estrutura, frescura e volume na boca e muito agradável de beber. Tem a característica principal, temos imenso prazer a beber, mas também junta características de degustação muito boas.

Desta vez, uma nova sensação emergiu. Ao experimentar o aroma associei-o ao perfil Proibido. É um vinho cheio de caráter, que o mostra em conjunto com as especificidades de cada colheita.

publicado por momenta às 13:26
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 7 de Outubro de 2016

Campolargo branco 2012 e bacalhau no forno

V_Campolargo_Br_2012.JPG

A refeição seria um bacalhau no forno. Um prato rico, portanto, uma oportunidade para um branco mais potente, maior complexidade e textura. Este Campolargo estava na garrafeira a descansar um pouco e enquadrava-se no perfil. Avançou e muito bem. A cor mostrava um amarelo carregado, o que fez temer pelo estado do vinho. No nariz, boa intensidade aromática e a complexidade esperada: fruta madura, parafina, frutos secos e panificação. Na boca, mostrou-se encorpado, alguma cremosidade e excelente frescura. Terminou bem longo e persistente. O vinho estava mais evoluído do que esperava, mas num ótimo ponto de degustação.

V_Campolargo_Br_2012_prato.JPG

A harmonização correspondeu. Perfeita harmonia na boca entre comida e vinho, mesmo a excelente acidez encaixou muito bem no prato. Mais um belo momento.

publicado por momenta às 13:39
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 13 de Maio de 2016

Esporão Reserva Branco 2011 com bacalhau

Esporao_Res_Br_11.JPG

O repasto iria ser um bacalhau no forno. Achei que era a oportunidade de pegar num branco mais complexo e cremoso. Complexo pela riqueza de sabores do assado e cremoso pelas texturas, dada a consistência do bacalhau. Pensei em Alentejo e na cave estava o Esporão reserva branco de 2011, que me pareceu encaixar no perfil.

Esporao_Res_Br_11_Prato.JPG

O que não falta é surpresas no mundo do vinho e desta vez aconteceu meia. O vinho estava em grande forma, como era de esperar de uma das melhores opções para o preço, o que não esperava é que estivesse como novo. Aromas a fruta tropical, coco e fumado de barrica; na boca, acidez vincada, corpo médio, frescura lá para cima. Bom final. Resultado, o vinho estava demasiado jovem, com acidez muito potente para o meu objetivo. Após aquecer um bom bocado aproximou-se do perfil pretendido e harmonizou bem. Mas fiquei impressionado com a juventude deste vinho, é uma das desgustações 2016 mais difíceis de esquecer. Grande vinho, ainda muito tempo pela frente.

 

 

 

publicado por momenta às 17:40
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 1 de Abril de 2016

Herdade das Servas Touriga Nacional 2013

V_Herdade Servas_TN_T13.jpg

Estava programado um almoço no Restaurante da Herdade das Servas, que seria bacalhau à Servas: bacalhau frito com cebolada. Estamos perante um prato com bastante gordura, portanto, procurei um vinho fresco e estruturado. Dentro dos vinhos do produtor, a opção foi pelo Touriga Nacional. E correu muito bem.

Gostei imenso do vinho e não é preciso dizer muito para o suportar. O aroma mostrava de forma muito límpida o floral da casta, na boca equilíbrio perfeito, taninos presentes, mas redondos, bem envolvidos no corpo, final médio. Foi um momento muito bom, com um vinho que mostra muito bem a Touriga Nacional no Alentejo e uma harmonização com sucesso, já que vinho limpava o palato de toda a gordura do prato.

 

publicado por momenta às 13:34
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 24 de Março de 2016

Taylor's 10 anos

V_Taylors_10_anos.JPG

 Nas refeições do fim de semana, a presença de um vinho de sobremesa é da praxe. O último que provei foi este Taylor's 10 anos (categoria especial da família Tawny), muito bem acompanhado por umas amêndoas. Estamos perante uma das mais reconhecidas casas de Vinho do Porto, com alguns Vintages pontuados com 100 pontos.

A gama 10 anos mostra-se muito interessante, porque estamos em preços razoáveis e já temos uma boa amostra do perfil de um tawny. Esta é a versão engarrafada em 2015 e mostrou bastante elegância. Nos aromas, o caramelo é dominante, mas acompanhado por notas de frutos secos. A boca é bem fresca, com textura cremosa e corpo mediano. Termina médio e elegante. Um vinho muito apelativo, agradável e que proporciona bastante prazer na prova. Gostei muito.

publicado por momenta às 14:10
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 30 de Outubro de 2015

Relógio de Sol Tinto e Arroz de Carnes

Relogio_Sol_Vinho.JPG

Este vinho foi um achado. Estava estacionado na prateleira da Garrafeira Vinho e Prazeres quando decidi pegar nele. Que boa decisão. Um vinho não filtrado, que se mostra totalmente polido, com o lado frutado e floral que tantas vezes encontramos no Vinho do Porto. Um encanto, em especial para quem gosta de vinho mais evoluídos, quando chegam ao ponto de complexidade, polimento nos taninos, integração na acidez, ou seja, elegância, finesse, sedução, encanto. Eu adoro este perfil. E foi assim que tratei de açambarcar as garrafas que ainda lá estavam, até que, com esta, cheguei ao fim do stock.

Relogio_Sol_Prato.JPG

A harmonização foi com uma arroz de carnes, que, em experiências anteriores, mostrou a melhor liação com este perfil. Assim, repetiu-se a ligação e o respetivo sucesso. Não há dúvida que quando vinho e comida "encaixam" na boca, o prazer de uma refeição sai muito, muito reforçado.

 

publicado por momenta às 18:14
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 25 de Setembro de 2015

Sagrado rosé 2013 e uma feijoada

Sagrado_R_13_vinho.JPG

Uma prova com uma história. O almoço de um destes domingos foi em família, como tantos outros, mas com um objetivo bem específico: falar um pouco de desenvolvimento pessoal, em particular de um conceito de Robin Sharma, Hoy Hour. Ou seja, pretendia-se falar deste conceito, o que foi o pretexto perfeito para se organizar um almoço. O anfitrião anunciou uma feijoada (de feijão branco) portanto, tratei de preparar um rosé, a minha harmonização preferida no momento. Das várias experiências, o rosado da Quinta do Sagrado foi uma das melhores, portanto, repeti. Cor rosa, aromas com alguma complexidade, em que uma ligeira especiaria aparece a dar um caráter diferente. Na boca fresco, claro, corpo médio e textura com alguma untuosidade. Final fresco e elegante.

Sagrado_R_13_prato.JPG

Gosto da ligação de alguns rosados com este prato pela ligação de texturas. Um rosado mais alcoólico, encorpado, mostra uma untuosidade que liga muito bem com o feijão e o molho. Se a acidez estiver domada, a harmonia fica ainda melhor, ou seja, quando o conjunto realça a acidez, a harmonização não é tão feliz. Estou a escrever e a lembrar-me de um ou 2 brancos que tenho em casa que também podem funcionar muito bem. Os 14º deste Sagrado e uma temperatura correta (não demasiado fresca) são, certamente, fatores importantes no sucesso.

publicado por momenta às 19:51
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 23 de Setembro de 2015

Aguião tinto e coelho panado

Aguiao_14_vinho.JPGAlmoço de sábado com coelho e dia de calor. Repetiu-se o perfil da semana anterior, ou seja, um verde tinto. Tinto para carne rica do coelho e verde pela sua frescura e vantagem de o podermos refrescar.

 O tinto Aguião é um varietal da mais utilizada casta tinta na região: vinhão (no Douro é conhecida por sousão) e um dos mais reconhecidos e aclamados verdes tintos. A verdade é que quando o bebemos sentimos alguma diferença face à grande maioria dos seus pares. Os aromas são os da casta, mas, além das notas de lagar, não se mostrou muito frutado, mas mais complexo e com alguma especiaria a espreitar. Corpo médio, mas bem estruturado, com taninos bem presentes e muito ligeira aresta. O seu ponto forte é o equilíbrio ácido. É super fresco na boca, mas a acidez está envolvida com os restantes componentes, não sobressai, é mais um elemento do conjunto. Final elegante, equilibrado, prazeroso. Muito bom, gostei muito.

Aguiao_14_prato.JPG

A harmonização foi impecável. Uma convivência harmoniosa entre vinho e comida na boca, sem preponderância de um ou outro até ao final. Equilíbrio e sabor = prazer. Belo momento de degustação.

publicado por momenta às 13:26
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 11 de Setembro de 2015

Sidónio Sousa Super Reserva e Leitão

Sidonio_Esp_T.JPGEra um dia especial, festa de aniversário. Tive o privilégio de chegar, sentar e degustar, em articulação com o anfitrião e parceiro enófilo. Para o leitão, preferência da aniversariante, o espumante é companhia tradicional, desta vez na versão tinta.

O eleito foi o espumante tinto de Sidónio de Sousa, produtor bairradina, terra de grandes espumantes e não menos famosos leitões. Um varietal de Baga mostra rapidamente as suas características. Temos cor rubi muito concentrada, já com ligeiro alaranjado, aromas ainda com fruta, mas com o lado especiado e terroso a mostrar-se. Mousse na boca, frescura, equiíbrio, sabor, tudo bem. Em boa forma, gostei muito.

Sidonio_Esp_T_Leitao.JPG

A harmonização é um clássico, para a gordura do leitão escolhe-se a acidez do espumante. Há clássicos aos quais não precisamos de acrescentar nada.

publicado por momenta às 13:21
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 24 de Agosto de 2015

Casa Senhorial do Reguengo e Coelho panado

 Senhorial Reguengo EB_Vinho.JPG

O almoço seria coelho, carne que normalmente aproveito para ligar com tintos mais encorpados e taninosos. No entanto, estou no trimestre de verdes e espumantes, portanto, lembrei-me do espumante tinto extra bruto da Casa Senhorial do Requengo que estava a aguardar o momento certo para ser comprado.  É um dos melhores produtores de espumantes na região dos Vinhos Verdes e este tinto um ex-libris da casa (cerca de €12,50, na Garrafeira Vinho e Prazeres).

Revelou-se um belo espumante. A cor era rubi muito concentrada, opaca, a remeter-nos de imediato para a casta vinhão, rainha dos tintos da região. O nariz mostrou-se mais contido, mas na boca o vinho mostrou toda a sua qualidade. Sensação de volume, cremosidade e uma acidez em equilíbrio perfeito, que conferiu uma frescura exemplar. Muito bom, gostei muito, a reforçar o meu gosto crescente por espumantes tintos. São uma opção gastronómica muito interessante, pela versatilidade, alguma consensualidade entre as pessoas com quem partilho estes momentos e efeito de leveza no estômago que o espumante consegue.

Senhorial Reguengo EB_Prato.JPG

A harmonização foi muito boa, com destaque para a boa ligação entre a cremosidade do espumante e a suavidade da carne do coelho. Já ao nível de sabores o vinho estava um pouco mais forte do que o prato. Globalmente foi muito bem conseguida, os espumante são de uma versatilidade (repito...) magnífica.

publicado por momenta às 13:31
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.links

.pesquisar

 

blogs SAPO

.subscrever feeds