Este blog é a materialização de duas necessidades humanas: expressar o que nos passa pela cabeça e guardar para consulta futura. Não possuo formação específica sobre as matérias abordadas, logo, este blog é apenas um espaço aberto de opinião.

.posts recentes

. Bafarela Grande Reserva 2...

. Quinta Cidrô Boal 2014

. Ventozelo Reserva 2014

. Castello D'Alba Vinhas Ve...

. Luís Pato Maria Gomes

. Langhe Nebbiolo 2010

. Ribbonwood Pinot Noir 201...

. Framingham Classic Riesli...

. Quinta do Vallado Field B...

. Herdade dos Grous 23 Barr...

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

Terça-feira, 24 de Fevereiro de 2015

Moonspell - A Poisened Gift

Anos e anos depois voltei a ouvir o álbum Irreligious, o grande impulsionador de bela carreira da banda. E do esquecimento voltou uma das músicas que mais gosto deste álbum e mais afastada dos holofotes.

Foi muito forte voltar 20 anos com esta intensidade.

 

 

tags:
publicado por Ricardo Cruz às 18:20
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2015

Harmonização Francesinha e Espumante

Quando se combinou comer uma francesinha na casa de um familiar não fazia ideia do que me esperava. Não foi muito pensado ou planeado, mas na hora de falar de acompanhamentos para a francesinha os olhos passaram por umas garrafas de Murganheira. De imediato pensei que a acidez do espumante seria uma boa companhia para o prato. Desta vez, a expetativa foi superada, já que se a acidez foi exemplar a limpar o palato da potência do prato, também os sabores combinaram de forma impecável.Murg_Velha_Reserva.jpgEste Murganheira Velha Reserva 2007 mostrou-se novo, cheio de pujança, com frescura espetacular, bolha fina e alguma complexidade. Em grande forma e a revelar uma longevidade potencial assinalável.

A francesinha também ajudou, já que era caseira, com carne arouquesa e um molho ótimo. Uma das melhores que comi, mesmo não sendo particular apreciador do petisco.

Francesinha_Ze.jpgA harmonização foi brilhante e uma das melhores do ano, mas poderá não funcionar com qualquer espumante: acidez é fundamental e alguma complexidade também ajuda.

publicado por Ricardo Cruz às 19:01
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.links

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds