Este blog é a materialização de duas necessidades humanas: expressar o que nos passa pela cabeça e guardar para consulta futura. Não possuo formação específica sobre as matérias abordadas, logo, este blog é apenas um espaço aberto de opinião.

.posts recentes

. Bafarela Grande Reserva 2...

. Quinta Cidrô Boal 2014

. Ventozelo Reserva 2014

. Castello D'Alba Vinhas Ve...

. Luís Pato Maria Gomes

. Langhe Nebbiolo 2010

. Ribbonwood Pinot Noir 201...

. Framingham Classic Riesli...

. Quinta do Vallado Field B...

. Herdade dos Grous 23 Barr...

.tags

. todas as tags

.arquivos

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

Terça-feira, 31 de Janeiro de 2012

Porta dos Cavaleiros Reserva - Tinto 2008

 

Vinho Porta dos Cavaleiros Reserva
Tipo / Ano Tinto 2008
Castas Touriga Nacional
Região Dão
Produtor Caves S. João


Aspecto Rubi intenso
Nariz Complexo, fruta preta, floral, fumados e ligeira madeira
Boca Corpo médio, taninos redondos, boa acidez. Muito agradável na boca, com frescura a suportar a complexidade do sabor, que acompanha o que anunciou no nariz. Termina médio, seco e suave


Nota 16
Data Prova Janeiro 2012
Preço €5,98, Pingo Doce

 

 

Um vinho muito bom, que apresenta a nossa Touriga Nacional num registo fresco, suave e complexo. É mais um bom exemplo do que o Dão tem para nos dar e chega-nos de uma casa bem tradicional, não estamos perante novos produtores com projectos diferentes. Boa relação preço/qualidade, boa compra, recomendo. Acompanhou uma carne assada no forno.

tags:
publicado por Ricardo Cruz às 19:28
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 27 de Janeiro de 2012

Omlet - Tinto 2008

Vinho Omlet
Tipo / Ano Tinto 2008
Castas Touriga Franca, Tinta Roriz, Sousão, Alicante Bouschet
Região Douro
Produtor Niepoort


Aspecto Grená carregado e opaco, bordo violáceo
Nariz Profundo e complexo, fruta preta, mineral, madeira muito pontual,...
Boca Encorpado, taninos redondos, boa acidez. A prova de boca é dominada pela estrutura e pelo carácter do vinho. Rico e complexo, desafia-nos e brinca com o palato. Final longo e persistente, elegante, seco e personalizado


Nota 18
Data Prova Janeiro 2012
Preço Abaixo de €30,00

 

 

Englobado nos projectos da Niepoort, é um vinho que resulta de uma parceira com o enólogo e produtor espanhol Telmo Rodrigues, com uvas provenientes de vinhas velhas do Douro (mais de 60 anos). O processo de vinificação incluiu fermentação em balseiros de madeira e estágio em barricas usadas durante 18 meses. O resultado é um grande vinho. Nesta prova o meu amadorismo foi uma mais-valia, na medida em que contribuiu para uma sensação de mistério e magnetismo; esperava que na porção seguinte alguma nuance do vinho se revelasse. Um vinho que nos absorve e desafia, excelente. Neste nível, analisar relação Q/P é complicado, mas passo a ter 2 referências de excelência sem preço exorbitante: Quinta dos Frades e Omlet.

tags:
publicado por Ricardo Cruz às 19:42
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 26 de Janeiro de 2012

Grou Grey - Tinto 2006

Vinho Grou Grey
Tipo / Ano Tinto 2006
Castas Alfrocheiro (50%), Touriga Nacional (35%), Alicante Bouschet (15%)
Região Reg. Alentejano
Produtor Wines and Winemakers


Aspecto Grená
Nariz Intenso, frutos vermelhos maduros, especiarias, nuances madeira
Boca Encorpado, taninos polidos, boa acidez. Muito bem na boca, com o seu corpo carnudo a mostrar-se polido, redondo e a espalhar sabor por onde passa. Final persistente e longo, saboroso e com o álcool a dar uma nota final


Nota 17
Data Prova Janeiro 2012
Preço

 

 

Um óptimo vinho, em que a elaboração por parte dos enólogos Diogo Lopes e Anselmo Mendes incluiu fermentação maloláctica e estágio de 12 meses em barricas novas de carvalho francês. Podemos chegar a esta impressão por várias vias, neste caso a via inclui um corpo bem constituído, intenso, mas polido e uma presença de boca que desperta a vontade de nos recostarmos na cadeira e apreciar o que tem para nos oferecer. Acompanhou uma feijoada de excepção e ainda encontrou espaço para se mostrar, pelo que devemos ter cuidado com o acompanhamento deste vinho, sob risco da refeição se eclipsar. Muito bom. Tive a oportunidade de o provar sem comprar, mas penso ter um preço acima de €20,00.

tags:
publicado por Ricardo Cruz às 19:44
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2012

Soalheiro Bruto - Espumante 2007

Vinho Soalheiro Bruto
Tipo / Ano Espumante 2007
Castas Alvarinho
Região Vinhos verdes
Produtor VinuSoalleirus


Aspecto Amarelo
Nariz Mineral, intensidade média
Boca Curioso na boca, onde a intensidade do sabor é motivo de destaque e compensa as médias vivacidade e frescura do corpo. O final é muito interessante, com a mineralidade a dominar e momentos fugazes de sensação de doçura


Nota 16
Data Prova Janeiro 2012
Preço

 

Espumante com claro perfil de degustação, muito interessante na percepção da evolução da casta. Torna-se invulgar e apelativo para enófilos. Acompanhou umas entradas e esteve bem.

tags:
publicado por Ricardo Cruz às 23:20
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2012

Revista de Vinhos - Janeiro 2012

Quando vi a capa da Revista de Vinhos de Janeiro surgiu logo um sorriso: destaque para a Touriga Nacional. Os motivos são simples, tinha-me deliciado há pouco com o excelente Pequenos Rebentos, vou provar mais 2 ou 3 varietais (Castello d'Alba, Porta dos Cavaleiros e um Borges) e fez-me lembrar um belo jantar no 4 Horas à Mesa. Assim, aprender um pouco mais com João Paulo Martins apenas enriquece este período. Uma coincidência plena de oportunidade. Temos, então, um painel alargado de vinhos da nossa casta bandeira, acompanhado de uma introdução cheia de interesse, que alia história, características organolépticas, tratamento na vinha, na adega e no laboratório. No restante, temos a qualidade habitual da RV, cheia de motivos de interesse e foi simplesmente devorada em 3 dias. Muito boa edição.

Destacam-se também:

 

- Vidigueira, pelo que vou acompanhando deste mundo do vinho, já tinha a vidigueira como sub-região de referência no Alentejo, pela característica mais difícil da região: acidez. Assim, teve o maior interesse para mim saber mais sobre esta zona, onde a Serra de Portel tem um papel determinante e marca a fronteira entre Alto e Baixo Alentejos;

- CR&F, para quem só conhecia aguardente, deparar com um mito nos vinhos foi tão surpreendente quanto agradável;

- Descobrir o Moscatel Setúbal, este artigo demonstra um potencial turístico notável. O generoso é de excelência, a região é pequena e tem tudo para merecer uma aposta. A possibilidade de conhecer os principais produtores numa área geográfica limitada é uma mais-valia fantástica. Afinal, sempre se gasta menos tempo e combustível na tour do moscatel;

- Tripas à moda do Porto, parece que Fernando Melo está a dar a volta às maravilhas da gastronomia, o que é uma óptima ideia. Bom artigo, com resenha histórica assinalável.

 

Mais 7 sugestões para a lista de compras, a preços tolerantes à crise.

tags: ,
publicado por Ricardo Cruz às 20:12
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 18 de Janeiro de 2012

Momenta vs RV - Herança Tinto 2009

Vinho Herança Vinhas Velhas
Tipo / Ano Tinto 2009
Castas
Região Douro
Produtor Terroir D'Origem


Aspecto Rubi concentrado
Nariz Personalizado, frutos vermelhos, fruta preta mineral
Boca Encorpado, boa acidez, taninos finos e polidos. Na boca destacou-se um corpo bem constituído, que acomoda muito bem a estrutura de taninos e uma frescura bem agradável. O final médio e seco, fica marcado por alguma causticidade dos 14,5% álcool


Nota 16,5
Data Prova Janeiro 2012
Preço €6,00 com a Revista Vinhos
Prova RV Proveniente de vinhas com mais de 80 anos localizadas em casal de Loivos, este vinho mostra muita cor e aroma profundo, complexo e intenso, juntando a fruta silvestre madura do Douro a notas de esteva e arbusto. Na boca volumosa a madeira mal se nota, o vinho é cheio, firme, vibrante e personalizado

 

 

Mais um momenta vs RV, com a garrafa que acompanhou a edição de Novembro. Vinho muito bom, com personalidade, estrutura e acidez, mostra qualidade e, quem sabe, longevidade. Pena sentir-se um pouco o álcool, o que prejudica a elegância, porque chegaria à excelência. Gostei muito de o beber, mesmo com uma constipação que condicionou a degustação. A €6,00 com a RV foi das melhores compras de 2011, mas se pensarmos no valor de prateleira, vale os €9,00.

publicado por Ricardo Cruz às 19:32
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 17 de Janeiro de 2012

Torre de Ferro Reserva - Tinto 2008

Vinho Torre de Ferro Reserva
Tipo / Ano Tinto 2008
Castas Alfrocheiro, Tinta Roriz, Touriga Nacional
Região Dão
Produtor Dão Sul


Aspecto Rubi
Nariz Frutos vermelhos muito limpo, madeira e especiarias
Boca Corpo médio, taninos redondos, muito boa acidez. Na boca segue o perfil Dão, bem fresco nada pesado e elegante. Acompanha o nariz, com fruta saborosa até ao final médio e elegante.


Nota 15,5
Data Prova Janeiro 2012
Preço €2,59, Lidl

 

 

Eu acredito no Dão. O perfil frutado, fresco e elegante é muito valorizado pelo mercado, dada a facilidade e o prazer na prova. Mas não se fica por aqui, porque a estrutura também aparece, a indiciar longevidade. Este vinho tem muito do que descrevi, saboroso, fresco, amigável e muito agradável. Consensual, é uma óptima compra, com relação preço/qualidade muito boa. Recomendo.

 

tags:
publicado por Ricardo Cruz às 19:52
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 13 de Janeiro de 2012

Graham's 40 Anos - Porto Tawny

Vinho Graham's 40 anos
Tipo / Ano Porto Tawny, engarrafado 2011
Castas
Região Vinho do Porto
Produtor Graham's


Aspecto Castanho
Nariz Frutos secos, mel, caramelo, café,...
Boca Corpo untuoso, acidez média. Quando temos este tawny na boca a viagem iniciada com os aromas ganha novo fôlego, com cremosidade, delicadeza, equilíbrio e elegância a conquistarem-nos. O final é o que se espera de um Porto deste nível: longo e interminável


Nota 18
Data Prova Janeiro 2011
Preço

 

 

O simpático convite de uns amigos para uma Ceia de Reis anunciava mais uns momentos bem passados em boa companhia. Para acompanhamento da roupa velha colocaram-me como hipótese o Muros Antigos Escolha, o meu verde deste verão, o que foi uma surpresa muito agradável (mais complexo, mas com aquela acidez brilhante dos bons vinhos verdes, nada cansado). Na hora da sobremesa aparece este 40 anos em cima da mesa e a festa atinge uma nova dimensão. Este é um vinho que nos faz viajar. Os aromas sucedem-se, nas boca temos sabores e um equilíbrio impressionante e o final esmagador tem uma elegância que nos faz render ao prazer de um néctar.  Só me apetece repetir a última frase do post do Andersen 40 anos. É a excelência...

 

publicado por Ricardo Cruz às 19:50
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 11 de Janeiro de 2012

Pequenos Rebentos Grande Reserva - Tinto 2008

Vinho Pequenos Rebentos Grande Reserva 3 Barricas
Tipo / Ano Tinto 2008
Castas Touriga Nacional
Região Douro
Produtor Márcio Lopes


Aspecto Violáceo muito fechado
Nariz Intenso, complexo e personalizado, com fruta preta, especiarias, tabaco e fumados
Boca Bom corpo, taninos polidos, bela acidez. O ataque é arrasador, já que a amplitude do vinho enche a boca e dispara frescura e sabores em todos os sentidos. Os taninos mostram-se envolvidos em lençóis de seda, num registo elegante e seco. O final é longo, seco, elegante e com grande persistência.


Nota 18
Data Prova Janeiro 2011
Preço

 

 

Mais um grande Touriga Nacional do Douro: intenso, personalizado, estruturado, seco e elegante. Gastronómico, apresenta um equilíbrio notável entre estrutura e elegância, acidez e álcool. Foi objecto de tratamento de topo, com 18 meses de estágio em barricas novas de carvalho francês e outros tantos a preparar-se em garrafa para esta entrada magnífica no mercado. Vendido em conjuntos de 2 unidades, com design sofisticado e belíssimo, e com preço a rondar os €35,00, é uma bela compra, que recomendo a quem consiga encontrar e pagar. A acompanhar um bom cabrito no forno, 2012 começou sob o signo da excelência.

 

tags:
publicado por Ricardo Cruz às 17:26
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 10 de Janeiro de 2012

Pequenos Rebentos - Branco 2010

Vinho Pequenos Rebentos
Tipo / Ano Branco 2010
Castas Alvarinho
Região Vinhos Verdes
Produtor Márcio Lopes


Aspecto Amarelo palha
Nariz Alguma complexidade, frutado, floral, mineral
Boca Bom corpo, acidez média. Muito bem na boca, com o seu corpo suave a mostrar-se muito agradável a transmitir as sensações do nariz, com fruta saborosa e um toque mineral que confere carácter. Final persistente e muito elegante.


Nota 16,5
Data Prova Dezembro 2011
Preço Entre €8,00 - €9,00

 

 

Provei este vinho em Junho / Julho e neste momento está ainda melhor (curiosamente, o mesmo aconteceu com o Soalheiro, que voltei a beber no Natal). O processo de vinificação pode contribuir para esta evolução, já que foi objecto de maceração pelicular e 15% do mosto estagiou em barricas usadas, com battonage. Nesta fase, destaca-se um corpo acima da média e o início de um trajecto mais complexo, embora o carácter frutado da casta se mantenha dominante. Na temperatura certa está num óptimo momento de consumo, com elegância e personalidade, recomendo. Tem um preço em linha com outros alvarinhos, pelo que a relação preço / qualidade é equilibrada/boa. Acompanhou um bacalhau no forno, na Ceia de 31 de Dezembro.

tags:
publicado por Ricardo Cruz às 20:08
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 9 de Janeiro de 2012

Wine - Dezembro 2011

 

 

Quando terminei a leitura desta edição da Wine fiquei deveras pensativo. Estava perante um número atípico, com menos conteúdos sobre vinho do que o habitual e um peso superior da componente gastronómica. De facto, esta situação levanta questões: Coincidência? Custos? Alteração de posicionamento? Era a edição de Dezembro, época em que o vinho tem protagonismo reforçado nas preocupações das pessoas (até o grão de areia que é este humilde espaço teve record de visitas entre 22 e 24 Dezembro...), pelo que estranhei. Bem, a confirmar nas próximas edições. Este aspecto não prejudicou a boa qualidade da revista, que manteve os seu bons colunistas e conteúdos habituais. A reportagem sobre o Oporto Wine Tourism Forum foi componente central, com vários convidados de créditos firmados e conteúdos críticos sobre um complemento cada vez mais importante da produção pura de vinho. Uma reportagem com dimensão ponderada e com contenção adequada na descrição dos conteúdos principais. Houve ainda vários outros componentes da revista que me agradaram em especial:

 

- Castas, Borraçal;

- Harmonizações, em Dezembro, só poderia ser um artigo sobre harmonizações com diversas formas de cozinhar bacalhau (as minhas ceias foram com Encruzado e Alvarinho);

- Burmester Colheitas, começa a ser repetitivo, mas estas verticais de generosos fazem-me sonhar (ok, roer de inveja também...).

 

Para lista de compras foram mais 10 sugestões, quase todas com relação preço/classificação muito boa.

tags: ,
publicado por Ricardo Cruz às 19:14
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 6 de Janeiro de 2012

Noval White Extra Dry

Vinho Noval White Extra Dry
Tipo / Ano Vinho do Porto
Castas
Região Vinho do Porto
Produtor Quinta do Noval


Aspecto Amarelo dourado
Nariz Fresco, austero, fruta branca, mineral
Boca Corpo médio, boa acidez. Fino, delicado, tem uma presença de boca leve e fresca, muito equilíbrio, mas mantém alguma contenção até ao final médio


Nota 15,5
Data Prova Dezembro 2011
Preço €1,75, a copo, no Solar do Vinho do Porto

 

 

Vinho austero, mas delicado e elegante. Tem um óptimo equilíbrio e boa acidez. Um Porto muito agradável, muito adequado para aperitivos.

tags:
publicado por Ricardo Cruz às 19:57
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 5 de Janeiro de 2012

Casa da Aranda Encruzado - Branco 2009

Vinho Casa da Aranda Encruzado
Tipo / Ano Branco 2009
Castas Encruzado
Região Dão
Produtor Soc. Agrícola Casa da Aranda


Aspecto Límpido, amarelo
Nariz Complexo, fruta branca, nuances minerais e vegetais
Boca Bom corpo, acidez média. A acidez vincada do Encruzado deu lugar a amplitude e suavidade, numa presença de boca muito boa, que acompanha o perfil do nariz. Final longo, de persistência média


Nota 16
Data Prova Dezembro 2011
Preço €7,86, Garrafeira Vinhos e Prazeres

 

 

Decidi que a Ceia de Natal seria com um branco. Quando vi este Encruzado na Vinhos e Prazeres pareceu-me boa opção: casta que aprecio, preço bem razoável e de 2009, o que despertou curiosidade com a evolução. O balanço é contraditório: muito bom na complexidade e carácter, pequena desilusão por apresentar ligeiros sinais de cansaço que não esperava. Este vinho não teve qualquer estágio em madeira, o que parece contribuir para uma evolução mais rápida (digo eu, sem conhecimentos técnicos). Está em boa forma e pronto a ser bebido com prazer, gostei muito.

tags:
publicado por Ricardo Cruz às 19:29
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 4 de Janeiro de 2012

Revista de Vinhos - Dezembro 2011

 

A edição de Dezembro da Revista de Vinhos apresenta como tema de capa o painel de vinhos do Alentejo – Grandes Tintos do Sul – e como outro tema forte a reportagem sobre o Encontro com Vinhos e Sabores.

Um conjunto de 56 tintos de topo do Alentejo é um painel de respeito e a zona líder de mercado em Portugal mostra bem a sua qualidade com néctares de alto nível. Notei que os preços, em média, não são baixos, apenas um apresenta um preço de referência inferior a €10,00. Esta observação surge apenas por comparação com o painel Duriense do mês anterior, que apresentava mais opções abaixo de €10,00. Tudo isto para sublinhar que essa entidade chamada mercado parece estar disposta a pagar mais por Alentejo do que por Douro. Será? Por outro lado, o editorial aponta para uma realidade com algumas dificuldades.

A reportagem sobre o Encontro com o Vinho e Sabores ocupou o espaço entre as págs, 34 e 61 (com publicidade pelo meio, claro). Não sou grande apreciador destas reportagens, mas tenho que reconhecer que a RV demonstrou uma capacidade de síntese bem aceitável, não tornando a peça demasiado exaustiva para quem lá não esteve.

Em geral, foi mais uma revista cheia de motivos de interesse e nível global muito bom. Destacam-se:

 

- Nova vida à Aguardente, não sou apreciador, mas termos uma das únicas 3 regiões demarcadas para produção de aguardente do mundo é motivo mais do que suficiente para destacar. Às Francesas Cognac e Armagnac junta-se a Lourinhã;

- Vinha Pan, um dos bagas de referência do Sr. Baga. Casta famosa por despertar sentimentos extremos - ou se gosta muito ou não se gosta nada – está a conquistar-me pela originalidade que tem para nos oferecer na componente degustação. Esta prova vertical mostra o grande nível que a baga pode atingir;

- Vindimas, os testemunhos recolhidos apontam para um bom ano. Boas notícias;

- Bairrada, diamante por polir, no índice lê-se: “produz dos melhores néctares (...), mas está longe de estar nas primeiras escolhas dos consumidores”. Uma bela peça, com contributos dos principais protagonistas, a mostrar a região e a apontar caminhos;

 

Muitas sugestões de compra anotadas, 21, e não só do painel dos vinhos do Alentejo (apenas 7).

tags: ,
publicado por Ricardo Cruz às 19:59
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 3 de Janeiro de 2012

Luis Pato Vinhas Velhas - Tinto 1999

Vinho Luis Pato Vinhas Velhas
Tipo / Ano Tinto 1999
Castas Baga
Região Bairrada
Produtor Luis Pato


Aspecto Acastanhado
Nariz Complexo, dominado por balsâmicos, nuances couro e fruta preta
Boca Corpo médio, acidez média, taninos evoluídos. Apresenta corpo gordo, segue o perfil do nariz, ainda saboroso. Agradável na boca, até ao final algo curto mas com persistência média.


Nota 16
Data Prova Dezembro 2011
Preço €18,70, Garrafeira Vinhos e Prazeres

 

 

Degustar vinhos menos jovens é uma aventura, há sempre aquela excitante margem de incerteza quanto ao que vai sair da garrafa. Eu gosto, mas principalmente pelos aromas, já que o corpo tem tendência a emagrecer pela precipitação dos componentes fenólicos. Este baga do Sr. Baga estava muito bom. Com carácter e complexidade foi um prazer degustá-lo, no entanto, é mais aconselhável a apreciadores. Numa ceia de Natal antecipada, acompanhou um arroz de cabidela.

publicado por Ricardo Cruz às 20:07
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.links

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds